quarta-feira, 17 de junho de 2009

Passos Impensados


Em um fim de tarde de calor
Ao cair da noite o crepúsculo
Os passos impensados de um rapaz
Ao atravessar a rua deserta da cidade.
Do alto da janela ela olhava-o
E seus olhos o acompanhavam
Na busca do desejo incontido
No coração de ansiedade.
Com passadas largas
Ela o abordou na esquina
E seus lábios proferiram a sentença
De promessa de uma noite de amor.
Minha cama está forrada com lençóis novos
E perfumada com aromas suaves
Estou ansiosa para viver uma paixão
E meu corpo explodindo em calor.
O marido, a serviço, viajou para longe.
Com muito dinheiro em sua jornada
Não volta tão cedo
O tempo de amar está em nossas mãos.
Sem tempo para pensar
E ofuscado pela beleza da mulher
O jovem é conduzido
Ao profundo das paixões.
O olhar da mulher perversa
Seduz o mais nobre dos mortais
Levando-o para o caminho da perdição
Cujo destino são fatais.


Poema: Odair

Um comentário:

Prof. Adinalzir disse...

Sempre se deve tomar muito cuidado com atitudes como essa. Achei muito bom o texto e melhor ainda a foto. Rsss...